quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

#207 ESPECIAL SÃO ROQUE: HISTÓRIA

Hello, andarilhos. Tudo bem com vocês? E finalmente, começou o Carnaval, né?

Para quem quer fugir dele, confira o post dos "10 lugares em São Paulo para fugir completamente do Carnaval". Eu também vou fugir.

Eu amo viajar. Conhecer lugares novos é uma dádiva. Acho que não há presente maior. Eu sempre digo que temos que conhecer nosso quintal primeiro, para depois ver se a grama do vizinho é mais verde ou não.
Bom, o Carnaval está beijando nosso pescoço e como já dei dicas de como fugir e não darei dicas de bloquinhos, por causa de que não irei a nenhum, não ficarei na Unidos do Netflix, bora ir para um lugar que é muito conhecido pela Rota do Vinho.

Apenas lembrando que esse lugar terá uma parte II e que os lugares que serão colocados aqui, é um pouco diferente de vinícolas e que o motivo de termos ido para lá, é que o Andarilho participou de um campeonato de taekwondo. Como foi o dia inteiro, não deu para fazer muita coisa não.
Então, será uma série de 4 posts que eu considero apenas como uma introduçãozinha básica. Ele precisa ser explorado de um jeito melhor.

Vamos baixar lá em SÃO ROQUE?


Tudo começou lá em agosto de 1657, quando o bandeirante e capitão paulista, Pedro Vaz de Barros, mais conhecido como Vaz Guaçu, O Grande, encantado pela região e devoto do santo São Roque, trouxe a sua família para estabelecer-se ali.

QUEM FOI SÃO ROQUE?

São Roque nasceu na França em 1295, através de um milagre recebido por sua mãe, que já tinha a idade bem avançada, mas desejava ter filhos.
Era rico, mas fez um voto de pobreza, pois queria viver como Jesus e repartiu seus bens para os pobres, que foram confiados ao seu tio. Sua pouca idade não permitia que fizesse isso e então, partiu para Roma, mendigando enquanto andava.
Voltou para a sua terra natal e claro, não o reconheceram. Prenderam o pobre coitado que ficou 5 anos na cadeia e em agosto de 1327, aos 32 anos, foi encontrado morto em sua cela. O carcereiro, que era manco desde nascença, tocou nele para ver se estava tudo bem e milagrosamente, foi curado.
É uma história bem bonita. Tem que ser muito desapegado de tudo para fazer isso.
Protetor das doenças e pragas e padroeiro dos inválidos, dos cirurgiões e do gado.
Viveu pouco, mas viveu bonito.


Continuando...

Vamos continuar falando do Pedrinho, fundador da cidade, que utilizou mão de obra indígena, no cultivo de trigo e vinhedos, em dois ribeirões muito importantes.
O local crescia e com isso, as capelas pequenas, feitas à taipa de pilão, foram as paradas dos bandeirantes, que vinham em busca de ouro e esmeraldas.
O transporte era feito através de roda de muares, provando que o desenvolvimento estava batendo na porta. O comércio e a lavoura cresciam e índios não eram mais o suficientes para fazer aquilo crescer.
Fico imaginando esse Pedro dando chicotadas nos índios. Que absurdo.

Como os índios já não funcionavam tanto, eu dou um doce para vocês, se adivinharem o que aconteceu logo em seguida.
Acertou quem falou que recorreram a importação de escravos africanos que fizeram com que a lavoura crescesse, com novos grãos sendo plantados: como milho, cana-de açúcar, café, entre outros.

São Paulo, logo em seu começo, não tinha bairros. Esse bairros tinham donos e eram loteamentos, chácaras ou sítios. O mesmo acontecia com o interior da cidade.
Após tanta mão de obra e venda daqui, ali e acolá, São Roque foi promovida a cidade em 22 de Abril de 1864. E tudo melhora, quando a Estrada de Ferro Sorocabana chega por aqui. A partir disso, as coisas aconteceriam mais rápido.
Após a Proclamação da República, chega a mão de obra italiana para reforçar mais a riqueza e o desenvolvimento da cidade.

E sim, foi por causa dos italianos, esse povo tutto buona gente, São Roque começava a ficar conhecida como a Terra do Vinho. A vitinivicultura ( atividade e desenvolvimento do processo de cultivar vinhos ) começa a tomar importância. Nas décadas seguintes, eles resolveram se instalar em encostas de morros, para formarem vinhedos e depois, fazerem suas adegas.
E foi a partir daí, que São Roque se tornou conhecida como a Terra do Vinho, pois italiano que é italiano não vive sem uma boa massa e um bom vinho. Saúde para todos eles.

São 361 anos de uma história riquíssima e com um legado de impacto cultural e turístico muito importante. Não à toa, São Roque foi promovida à Estância Turística em 1990, por cumprir requisitos definidos por Lei Estadual. Uma cidade que promove a sua história e sua cultura tem todo o meu respeito.
Por ser uma cidade bem pertinho da Capital, um bate e volta é perfeito para se fazer bastante coisa: Museus, adegas, vinícolas, restaurantes, bares e praças, além de ter uma paisagem completamente encantadora. Contemple a natureza.  Cerca de 40% do seu território é composto por Mata Atlântica. Você irá perceber o quanto o verde é intenso.

Então é isso, andarilhos lindos. Quem imaginou que os italianinhos que começaram a fazer vinhos para consumo próprio, faria São Roque se tornar conhecida por essa atividade tão lucrativa?
São 60 quilômetros da Capital. Pertinho, pertinho. Aproveita que é Carnaval e pegue o seu amor e curta essa cidade tão incrível.

E se for passar os 4 dias por lá: reserve seu hotel através do Booking: https://www.booking.com
Tudo você encontra na parte direita do blog, certo?

Aproveite o seu Carnaval com consciência, use camisinha e seja feliz. Não dá para vacilar, não é mesmo. Um pacote de fralda está R$80,00. Seja inteligente.

Beijos sabor vinho tinto e até sábado.

sábado, 23 de fevereiro de 2019

#206 ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA - ANEXO II

Olá, andarilhos. Tudo bem com vocês? Já estão curtindo os bloquinhos?


Eu sou cinéfila. Sim, muito. No definição do dicionário, cinéfilo é aquele grande apreciador de cinema, como arte ou lazer.
No meu dicionário, acrescento aquele que não vê filmes apenas como lazer ou entretenimento. Ou que só vai ao cinema pela pipoca.
Cinema para mim, é muito mais do que ficar sentado numa tela esperando duas horas passarem. É muito mais do que Hollywood. Amo cinema europeu e brasileiro.
Sou alucinada pelas grandes escolas e estilos, planos de câmera e etc... E sou alucinada pelo Oscar.

E por causa do Oscar esse ano, o lugar de hoje será... cinema, obviamente! Acompanho mesmo e todo começo de ano, o cinema é a minha segunda casa. Deixo de andarilhar, para ver o máximo de filmes até a premiação. Doida? Talvez.


Vamos assistir um filminho no ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA - ANEXO II?

Eu já falei dele por aqui, em junho/2017. Foi inaugurado em 1995, com o nome Espaço Unibanco e logo depois, o Itaú comprou e mudou de nome.
Descendo pela Rua Augusta, já vemos o cinema enorme que antes era ocupado pelo Cine Majestic. No primeiro anexo, quando entramos, Oscarito e Grande Otelo nos dão boas-vindas. Uma foto lindíssima e enorme está na parede. É para ficar contemplando mesmo.
Esse lugar, também é um dos meus favoritos. É uma delícia ficar ali, esperando pelo seu filme, na livraria especializada em TV, teatro, cinema e arte em geral. Ou, ficar tomando café na bomboniere super completa.

Mas, precisamos atravessar a rua e conhecer o anexo do Itaú Augusta.

Ao lado do restaurante mexicano, La Sabrosa ( fui conhecer, mas achei ali muito confuso e desisti ), está um casarão lindo, com um jardim super fofo e uma cafeteria maravilhosa.
Se no primeiro anexo, os filmes já são diferentes, mesmo tendo alguns de Hollywood, no segundo anexo, a coisa pega. É alternativo meixxxmo ( leia como um carioca leria). Documentários iranianos, filmes dinamarqueses e de outros países que sequer você sabia que produzia cinema. E eu curto muito.
Além de ser um lugar super fotografável. As mesinhas do café são um verdadeiro charme.
São duas salas, equipadas com poltronas para cadeirantes e obesos.

São 3 unidades em São Paulo. Além dos dois anexos na Rua Augusta, ele está no Shopping Frei Caneca (um dos 3 shoppings favoritos da vida) e no Bourbon que foi o primeiro complexo a ganhar a tecnologia IMAX.
São 57 salas distribuídas no Brasil inteiro, com um áudio impecável e salas extremamente espaçosas.

Enfim, ir ao Itaú Augusta é uma experiência maravilhosa e torço para que cada vez mais, cinemas fora de shopping apareçam.
Cadê a galera empreendedora? Façam valer o título.


É um lugar para imergir no verdadeiro cinema, para se integrar no mundo da sétima arte e inspirar, emocionar, chorar e fazer parte desse mundo tão lindo e completo.
E é essa a proposta do Itaú Cinemas, levar cultura e informação para todos, com o propósito de trazer uma programação rica e nos fazer entender que não é só os Estados Unidos que sabe contar uma boa e bela história.

E estou realmente ansiosa para o Oscar. Quem está também?

Endereço: Rua Augusta, 1470 - Anexo II - Consolação
Telefones: 11 32886780
Site: http://www.itaucinemas.com.br/pag/sao-paulo-augusta
Ingressos: Preços sob consulta
Horários de Funcionamento: Bilheteria: Diariamente: 13h30 Às 22h00
NÃO HÁ ESTACIONAMENTO


That's all, andarilhos. Sempre é bom curtir um bom cinema. Amo fazer sessão pipoca. Já assisti até 3 filmes em um mesmo dia.
E vocês, são assim também? E quais serão os filmes que vão ganhar o Oscar? Façam as sua apostas. Eu já fiz as minhas.

Beijos cinéfilos e até semana que vem.











quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

#205 10 LUGARES EM SÃO PAULO PARA FUGIR COMPLETAMENTE DO CARNAVAL

Hello, andarilhos lindos. Tudo bem com vocês? Já estão preparados para os rolês? Me contem.

Carnaval está chegando. Durante muito tempo, odiei e fui contra. Eu achava isso uma perda de tempo sem tamanho e me questionava o porquê as pessoas gostavam tanto.


Eu continuo não gostando, detesto samba e axé, odeio muvuca e nunca fui para bloquinhos de Carnaval. Tenho pânico multidão. Me sufoca.
Mas, hoje, eu entendo o impacto cultural, histórico, econômico e turístico que o Carnaval carrega desde sempre. Quando alguém diz que Carnaval não serve para nada, me pergunto o que a pessoa tem na cabeça para afirmar isso.

Mas, não... o post de hoje não te indicará bloquinhos legais para pular. Eu até poderia fazer isso, ir em algum blog qualquer e escolher os que tem o nome mais bonito.
Como eu disse, não vou a bloquinhos, então, eu tenho que pensar em quem não gosta também. Então, reuni 10 lugares para ir em São Paulo, durante a folia, para não ter que ficar em casa assistindo a Netflix. Ajuda um pouco se você não vai viajar, não ajuda? Ânimo!

Bom, esses 10 lugares são completamente fora do Centro de São Paulo, Avenida Paulista e arredores e região de Pinheiros, Largo da Batata e por ali perto. Vou tirar vocês do olho do furacão para conseguir relaxar. É para isso que eu sirvo.

Todos esses lugares já foram publicados aqui. Então, é só ir lá nos posts, ver os os horários e a melhor forma para conhecer, ok?



  • PARQUE DA ACLIMAÇÃO

Um parque que já foi zoológico e que recebe até 5000 pessoas por final de semana. Tem algo mágico e há um abaixo assinado ocorrendo para ter melhorias no parque, como revitalização de lago e biblioteca, especializada em Meio Ambiente.
Acho que se tornou um dos meus preferidos na cidade. Bora conhecer?



  • TIQUATIRA

Outro parque e esse fez parte da minha infância e da minha vida inteira. Foi o primeiro parque linear de São Paulo, com 7 kilômetros de extensão. Há muitos bares e restaurantes ao redor. E é excelente para passar um dia, correr, andar e deitar na grama. Extremamente ao ar livre. É só chegar. Nem portão de entrada tem.





  • PARQUE VÁRZEAS DO TIETÊ

O maior parque linear do mundo está na Zona Leste. Sim, fica na Linha Vermelha do Metrô. São mais de 10 mil hectares e chega até Salesópolis. Antiga fazenda histórica, é um lugar delicioso para ficar um dia relaxando. Novinho em folha, foi inaugurado ano passado.




  • PARQUE ESTADUAL DO BELÉM

Outro parque super gostoso e um dos mais novos de São Paulo. Foi inaugurado em 2012, com uma Fábrica de Cultura ao lado que oferece: dança, canto, teatro e muitas outras atividades culturais.
Outro reduto de lazer e descanso, bem em frente a uma das avenida mais movimentadas e barulhentas de São Paulo.




  • VICO GELATO ARTIGIANALE

Uma sorveteria que eu descobri por acaso, sem planejar nada, indo para o Museu do Futebol. Pode não estar tanto calor agora, como alguns dias atrás, mas sorvete é bom no frio, no calor, nevando... Em qualquer hora do dia.

https://somosandarilhos.blogspot.com/search?q=VICO



  • DA PÁ VIRADA - BUTANTÃ
Qual é o resultado de andar metade da Rodovia Raposo Tavares a pé, para ir atrás de uma sorveteria? E não é qualquer sorveteria não. É a Da Pá Virada, com 160 sabores de sorvetes a sua disposição, em um ambiente super charmosinho.



Um local que começou como uma lanchonete bem simples ao se tornar o que é hoje. Tem de absolutamente de tudo: desde pizza a sopas. Sanduíches quentes e frios a almoço e janta. E faz parte da minha vida também: em tempos de recuperação de escola, eu passava a tarde ali, esperando pelas aulas de reforço de Matemática, Química e Física.

https://somosandarilhos.blogspot.com/search?q=requinte



  • CASA DO BANDEIRANTE

Não vou me cansar nunca de falar sobre a Casa do Bandeirante. É algo único e que deve ser conhecido por todos. Uma casa do século 17, com 12 cômodos, pertencente ao Museu da Cidade. O Jardim é algo alucinante. Vale a pena a viagem para o outro extremo de São Paulo para passar um dia de muita calma.

https://somosandarilhos.blogspot.com/search?q=CASA+DO+BANDEIRANTE



  • A CASA TOMBADA

Um centro cultural incrível escondido, ali na Barra Funda. Um lugar bem diferente, recheado de cultura e história, pulsando desde 2015.
Se apaixone pela biblioteca e pela casinha que dá a impressão que estamos no interior. Um verdadeiro charme. Ah, e tem cursos de pós graduação também. 



  • CAPELA DE SÃO MIGUEL ARCANJO

Vamos voltar para a Idade Média? Se bem que eu acho que voltamos para ela, faz tempo, mas enfim... 
O que acham de uma capela do século 15 em plena São Miguel Paulista? São mais de 400 objetos sacros e foi tombado há muito tempo.
Para mim, um dos muitos lugares que você deve incluir em seu roteiro quando vier para São Paulo.




E aí, andarilhos, gostaram? Tentei reunir lugares bem longe do inferninho que acontecerá daqui alguns dias. Eu vou tentar descobrir novos lugares e se vocês tiverem sugestões, não hesite em compartilhar por aqui, ok?

Beijos carnavalescos e até sábado!





sábado, 16 de fevereiro de 2019

#204 PARQUE DO PIQUERI

Hello, andarilhos. Tudo bem com vocês? Já estão se aprontando para o Carnaval?

Antes do blog, não tinha muito o costume de ir em parques. Conhecia poucos e sinceramente, nunca havia pensado em áreas verdes como algo tão importante. Absurdo, eu sei.
Depois do blog, comecei a enxergar isso com outros olhos e ir para parques hoje, de qualquer espécie, eu considero essencial, porque eu descobri que eu preciso de calma e silêncio para acalmar a mente que simplesmente não para.
Eu precisava disso antes. Eu só não conseguia compreender.
O lugar de hoje, conheci ainda criança e fui apenas uma vez. Então, não me lembrava muito bem dele.
Toda hora eu via pessoas que passavam o dia ali e eu precisava ir de novo, já que é tão pertinho de mim.

Vamos acalmar a alma no PARQUE DO PIQUERI?

Piqueri - significado: tribo indígena que habitava a região e o seu nome significa: rio de peixes moídos.

São Paulo teve um personagem muito importante no século XX e em qualquer lugar que formos, se pesquisarmos a história, seu nome estava no meio. Se não era dono ou o construtor, teve a mãozinha dele por lá.
Já conhecem o nosso amigo Francisco Matarazzo? Um dos maiores empresários que o Brasil já teve.

Os bairros mais afastados do Centro eram bem rurais e foi nesse ponto que o Conde resolveu fazer morada para suas férias. Ali era sede da antiga Chácara do Tatuapé. Conseguimos ver o ano de 1901 datado no portão. É mais antigo do que andar para trás.
Sim, o conde Matarazzo foi o dono de tudo aquilo e como era grande, Francisco resolveu criar búfalos, lhamas, veados, granjas, além de ter uma fábrica de queijos e uma área destinada à sua Industria. Lembra da história do post dos Jardins da Prefeitura? Sim, foi a empresa dele. Eu conto toda a história lá no post.
Eu ainda estou tentando entender o porquê alguém cria búfalos e para quê? E justo aqui na Zona Leste. Enfim, coisas de gente rica que eu não vou entender nunca.

Ele mandou plantar mais 50 espécies de árvores nativas e exóticas, entre elas, palmeiras, paineiras, bambus, eucaliptos, magnólias, além de plantas e flores que combinassem melhor com o clima do Brasil e São Paulo.

Ali se tornou algo muito grande para se cuidar sozinho. Então, em 1930, ele mandou trazer da Itália, Saulo Carpineli, para administrar tudo o que ele não estava conseguindo. Saulo meio que se tornou o caseiro de tudo e o que hoje é a administração do parque, ontem, foi a casa dele e o mais legal de tudo, é que sim, a casa está bem conservada e foi tombada. Eu acredito que não pode entrar, mas seria legal tirar umas fotos de lá.
O casarão onde ele morava não está mais de pé. Foi demolido para readaptações do parque. Deveria ser a coisa mais linda. Certeza.

Daí, em 1954, a chácara foi vendida e finalmente, em 16 de abril de 1978, o parque foi inaugurado e se tornou público.
São quase 100 mil metros quadrados de puro verde para contemplar e descansar. Além de ver os animais saltitando e voando para lá e para cá.
O lago é outra coisa de doido. É a coisa mais linda. São mais de 1600 metros que foi construído a partir de nascentes em uma área de várzea do terreno. Podemos ver tartarugas de orelhas vermelhas, muitas delas,vieram do Hemisfério Norte, especialmente para cá.
Iguanas estão à solta e do nada, podem aparecer correndo do seu lado. Aconteceu comigo. Fui correndo tirar fotos, mas ela foi mais rápido. Fugiu e não consegui.

O Parque do Piqueri é um lugar para descansar mesmo. Deitar no mato e relaxar um pouco, ler um livro, tomar um sol, dormir, sentir o sol te beliscando e sabem o que é mais legal? O Rio Tietê tinha um outro traçado, antes do desenvolvimento chegar e passava por dentro das propriedades.
Podem acreditar, andarilhos. Houve um tempo que o Rio Tietê era limpo e pessoas nadavam nele. E, dentro do parque, se você procurar bem, conseguimos ver o ancoradouro de barcos que atracavam ali anteriormente.

Alem de tudo isso, você pode fazer sua caminhada ou sua corrida em uma pista com mais de 1200 metros de extensão, jogar sua bolinha no campo de areia, praticar seu esporte nas duas quadras poliesportivas, malhar nos equipamentos de musculação, jogar bocha ou se não quiser deitar na areia para ler, há um ponto de leitura.
Acho que o Parque do Piqueri é um dos mais completos que existe.

São anos e anos de história que contar tudo em um simples blog como esse, ficaria realmente complicado. Mas da casa de um dos melhores empresários que o Brasil teve à brigas na Justiça por construções de Usina de Leite e empreendimentos imobiliários que não deram certo por manifestações e reclamações dos vizinhos, o Piqueri está aí, firme e forte, como um dos parques mais importantes da cidade.

Ah, e não se preocupem. Existem restaurantes fora do parque, caso bater a fominha. Eu comi em um, em frente, que em breve, falarei por aqui.

Endereço: Rua Tuiuti, 515 - Tatuapé
Telefone: 11 2097 - 2213
Horário de Funcionamento: Diariamente: Das 06h00 às 18h00
E-mail para visita monitorada, caso queiram: vtvalentini@prefeitura.sp.gov.br
ENTRADA GRATUITA
NÃO POSSUI ESTACIONAMENTO

That's all, andarilhos. Mais verde para a nossa conta. E um verde lotado de história. Um local com intensa mata e você simplesmente não acredita que estamos bem no meio da Marginal Tietê, uma das rodovias mais intensas e barulhentas que existe da cidade. Consegue imaginar que lá dentro não ouvimos barulho nenhum de carro ou caminhão? É sério!
Vamos conhecer mais um reduto de área verde e como São Paulo pode nos nos presentear com tranquilidade e relaxamento. Basta procurar!
Se jogue! Divirta-se!

Beijos verdinhos e até quinta que vem!



quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

#203 PARÓQUIA IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA - HIGIENÓPOLIS

Hello, hello, andarilhos. Tudo bem com vocês? O que vão aprontar no fim de semana?


Vocês perceberam e está mais do que claro por aqui, como eu encaro a importância de andar. Acho que só caminhando, descobrimos coisas que de carro, ônibus, Uber ou qualquer outra coisa, não conseguimos. Adoro enxergar esses detalhes e descobrir esses lugares que não são muito falados ou conhecidos.
O lugar de hoje foi dessa forma. Tínhamos ido ao parque Buenos Aires, que eu ainda não falei por aqui, precisava ir em algum lugar para comer, que descobrimos vendo o Google Maps ( muitas vezes, fico brincando lá no Google Maps e é assim que eu consigo descobrir lugares) e ao entrar na rua, vi essa Igreja maravilhosa e que não estava nos planos em visitá-la.

Vamos nos encher de paz entrando na PARÓQUIA IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA?

Tudo começou em 1897, por missionários claretianos para substituir uma outra capela, a  Capela Beato José de Almeida que fica ali no Pateo do Colégio que foi destruída por uma forte chuva na época em 1896.
As pessoas precisavam rezar em algum lugar, então foi preciso uma substituição. A construção durou dois anos, até 1899, mas vive sob uma constante reforma.

A construção ficou sob cargo de um escultor italiano, Tiziano Zuccheta. Sua arquitetura é de estilo lombarda ( movimento cultural e artístico no cristianismo medieval europeu), clássico e eclético ( vários estilos em um só). A primeira pintura da Igreja foi realizada entre 1927 a 1934. Mas, depois da reforma da igreja e da decupagem da tinta para realizar outra, foi descoberta um outro tipo de pintura e desenhos nas paredes que fugiam completamente das pinturas das demais capelas. As temáticas eram bem diferentes.

A iluminação é bem baixa e uma das igrejas mais bonitas que eu já vi. Tanto por dentro quanto por fora. Por exemplo, para mim, a Catedral da Sé é indiscutivelmente a mais bonita de todas, por fora. Por dentro, eu já não acho tudo isso não.
Nessa igreja, ao olharmos para o teto ou nave central como dizem, reproduz a evangelização da cidade de São Paulo, lá com os jesuítas e o padre José de Anchieta e o batismo do Cacique Tibiriçá.
Tudo isso eu conto lá no post do Páteo do Colégio, o lugar exato em que São Paulo nasceu. Onde tudo começou. Tem post no blog sobre ele. Vai lá conferir.

Eu disse acima que a igreja foi construída por missionários claretianos e que os desenhos em sua temática, exaltam a história deles.
Mas quem foram? Vocês sabem?
É uma congregação católica formada por um padre, Santo Antônio Maria Claret, em 1849, com uma média de 3.500 membros e está entre a 10 maiores ordens católicas do mundo, presente em 66 países nos 5 continentes. Muito conhecido pelos diversos trabalhos sociais no país. como a faculdade (Centro Universitário Claretiano), seminários, missões, aparições em rádio&TV, etc...
Muitos vieram da Espanha e se instalaram em 1895 no Largo São Francisco, se instalando provisoriamente na Terceira Ordem Franciscana, até ergueerem um lugar que pudessem chamar de casa.

Como a igreja do Pateo do Colégio foi destruída e construíram essa para substituir na época, vieram doações de pessoas muito importantes na época, do naipe da Marquesa de Itu, Dona Veridiana Prado e etc...
Com isso, de santuário se transformou em paróquia em 1965.

E daí, o resto é história. A igreja é lindíssima, tombada e protegida pelo CONDEPHAAT ( Conselho do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico de São Paulo ).
Dentre os seus serviços, ela oferece: cursos de noivos, batizados, crismas, bazares, além de confissões. Missas tem todos os dias.

Endereço: Rua Jaguaribe, 735 - Higienópolis - Vila Buarque-
Telefone: 11 3666-0756 // 11 3661-4077
Site: https://www.igrejacoracaodemaria.org.br/avisos
Atendimento da Secretaria: Segundas-Feiras às Sextas-Feiras: Das 08h00 ao 12h00 -- 13h30 às 19h30 // Sábados: Das 07h30 às 11h30 -- 12h30 às 15h45
Missas: Segundas-feiras às Sextas-Feiras: 06h30 - 12h00 - 18h00 // Sábados: 08h00 - 16h00 // Domingos: 09h30 - 11h00 - 18h00 - 20h00
POSSUI WI-FI
NÃO POSSUI ESTACIONAMENTO

Finish, andarilhos. Mais uma igreja linda que conta a história de São Paulo como tem que ser contada. Eu adorei passar uns momentos ali e vale ficar no silêncio como reflexão e calma. Eu amo o silêncio e sim, ele deve ser respeitado. É nele que você encontrará as respostas para tudo.
Vão e depois me contem o que acharam, combinado?

E, se vocês gostaram desse post, compartilhe com os amigos e bora passear.

Beijos religiosos e até sábado.


sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

#202 SALGOLÂNDIA DOCES E SALGADOS

Hello, andarilhos. Tudo bem com vocês?  Estão curtindo bem o sábado?

Eu sempre exaltei a Zona Leste aqui. Sim, ela precisa ser melhor divulgada e ser descoberta. Muitos não vem para cá por puro preconceito.
É preciso que pessoas com mentes mais engajadas para levar o que tem de melhor aqui para outras.
O lugar de hoje é no caminho para a casa do andarilho. Como eu sigo na meta de conhecer as sorveterias/gelaterias de São Paulo, essa aqui é mais uma, que eu demorei exatos 7 anos para conhecer ( sim, andarilhos, estamos juntos há 7 anos) e que eu não dava um dedo mindinho para ela. Até entender que ela vive lotada e que poderia ser algo realmente bom.

Então vamos nos lambuzar nesse lugar que tem o nome mega engraçado? Vamos tomar sorvete na SALGOLÂNDIA DOCES E SALGADOS?

Sabem aquela história de tradição em família? Alguém, na maioria das vezes, é a vó, começa a fazer coisas gostosas toda semana, daí começam a encher o ouvido dela para fazer mais e mais e em um piscar de olhos, a mágica acontece.
No caso da minha vó, por exemplo, é pizza caseira. A gente fala para ela abrir uma cantina, que a pizza dela é maravilhosa, mas ela não acredita e então vai parar por aí mesmo.
Já a história da Marlene Augusto, dona da Salgolândia, é bem diferente. Tudo começou com a mãe dela, que desde, jovem, fazia doces e salgados para a família inteira. Juntava a parentada e uma comilança só.
E foi aí, que a mãe entrou para o ramo da confeitaria. E então, em 1991, a filha, resolve entrar no mesmo ramo, aprendeu e começou a fazer para a família também.
E sabem como é o boca-a-boca, né? Começaram a surgir encomendas, uma atrás da outra, a demanda foi aumentando tanto, que o nome foi dado pelo próprios clientes. Olha que fofurice!
Claro que com o aumento da produção, o espaço que a produção era feita, ficou pequeno e elas foram obrigadas a alugar um local para atender tudo o que era pedido.
Então, em 2001, a Salgolândia finalmente começou a existir como empresa mesmo.

Apesar do nome, Salgolândia Doces & Salgados, a especialidade é confeitaria. Deixaram o nome por causa da memória afetiva e o quanto fizeram a família crescer.
Curiosamente, a filha da Marlene, também se formou em Gastronomia e se especializou em Cake Design (ou decoração bonita de bolo).

O lugar é bem gostoso de ficar. É bem grandinho e como eu disse lá em cima, está sempre cheio de gente. Como o carro chefe da casa são os doces, as pessoas vão pelo sorvetes. São mais de 20 sabores de massa, além de açaí, banana split e milkshake.
A vitrine é uma coisa de doido. E, sim, os bolos são a coisa mais linda do mundo. Acho que não tem como não sair babando por qualquer doce. Quindins, bolos, tortas, manjar, beijinhos, brigadeiros, pavês, bombas, carolinas... tudo isso é o filme de terror do diabético, mas para quem gosta de algum docinho, principalmente na hora do almoço, vai se divertir em escolher tanta coisa. É difícil, mas é uma dificuldade boa.
Quem for da gangue dos salgados, elas trabalham com hambúrgueres, esfihas, torta salgadas e muito mais.

Enfim, é um ótimo lugar para passar a tarde e ativar a formiguinha que há em você. As atendentes são mega simpáticas e ficaram super felizes quando eu falei do blog.
Sem contar que a decoração é fofíssima, bem clean e bem bonitinha. Você se sente tão bem lá, que se arrepende de ter saído e não ficado para comer mais.
Ah, esqueci de dizer que os sorvetes que tomamos, os dois juntos, ficaram por míseros... LÁ VAI: R$11,90! Exatamente!

Endereço: Avenida Barão de Alagoas, 326 - Itaim Paulista - Zona Leste
Telefone: 11 2562 - 0233 // 11 2566-5638
Site: https://www.salgolandia.com.br/index.php/contato
E-mail: salgolandia@salgolandia.com.br
Horário de Funcionamento: Segundas-Feiras aos Sábados: 09h00 às 20h00 // Domingos: 10h00 às 20h00
NÃO POSSUI ESTACIONAMENTO

That's all, andarilhos! É muito bom saber que existem lugares assim tão perto da gente. Foram exatos 7 anos para descer e comer alguma coisa ali.
Valorize o seu cantinho. Ele tem muito mais a dizer do que você pensa.

Beijos salgadinhos e docinhos. Até quinta que vem.


quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

#201 MUSEU DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA // PALACETE CONDE DE SARZEDAS

Oi, oi, oi, andarilhos! Tudo bem com vocês? O que estão planejando para o fim de semana? Contem para mim.

Se alguém me perguntasse qual é o tipo de lugar que eu mais gosto de ir na vida, acho que eu não hesitaria em responder museus.
Tudo bem, poderia ser sorveterias ou parques, mas sorvete a gente come e vai embora e parques, adquiri o costume de ir regularmente, depois do blog. Então, certamente é museu porque esse hábito existe desde que eu era criança. Teatro vem em segundo, cinema em terceiro lugar e bibliotecas/livrarias ficam em quarto.
Então, ligando uma coisa na outra, eu fico surpresa o quanto São Paulo me surpreende todos os dias. Eu amo cada cantinho, cada buraquinho, cada ruela... é sempre uma novidade que vem até você.
E o lugar de hoje é assim. Via por foto, achava a coisa mais linda do mundo e sonhava em conhecer. Até que chegou o grande dia.
Assim que cheguei na rua, fiquei alguns minutos olhando bobamente para ele, por que distoa completamente da arquitetura ao redor e segundo, porque parece coisa montada.Algo que não existe.

Vamos pirar no MUSEU DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA? Ou melhor dizendo, vamos entrar no humilde PALACETE CONDE DE SARZEDAS?


O INÍCIO...

Primeiro de tudo, Conde de Sarzedas não foi exclusivamente uma única pessoa. Foi um título que pertenceu a vários homens.
Pois bem, como eu já disse diversas vezes, muito antigamente, São Paulo era constituída por chácaras e cada bairro tinha o seu dono, seu lote e suas terras.
E, nessa terra que hoje está o Palacete, entre a Sé e a Liberdade, pertenceu a um carinha muito importante. O filho do governador da capitania de São Paulo entre 1780 a 1797. É tempo pra mais de metro. Pensam que ele foi pouca porcaria? Ele foi muita porcaria. Ele foi o vice-rei da Índia no começo dos anos 1800.
Mas, suas terras foram vendidas para uma mulher muito rica, que ordenou que ali fosse construído ruas e que tivesse espaço para carruagens, carroças e outros transportes passassem.
Então, novamente foi vendido. E foi aí que o castelinho começou a nascer. O dono era o deputado de São Paulo, Luís de Lorena. Apaixonado, viajado e muito rico, encondou a estrutura do palacete para dar a sua mulher que tinha 18 anos na época e que era francesa, a Louise Belanger. O homem já tinha 60 anos de idade. O palacete começou a ser chamado pelos vizinhos de: Castelinho do Amor. Esse apelidou pegou e todos conheciam por esse nome.
Materiais nobres e importados foram usados na construção.
E como de praxe, gente muito rica gostava de dar festas luxuosas. Tudo era motivo para reunir a alta sociedade. Mas, a temática das maiorias das festas, era para que políticos solteiros saíssem do palacete com alguém.
Eles moraram por lá, durante um tempo, o deputado morreu e ainda assim, esposa, o filho deles e a nora ficaram mais um pouco e saíram da casa em 1939. Daí, por lá passaram mais alguns moradores e o tempo foi passando, passando, não houve interesse de compra por mais ninguém e o palacete começou a ruir.
Mas, já imaginou que lindo: o seu crush construir um palacete em sua homenagem? Não é de arrepiar? Ou você nem liga muito para isso?
Sinceramente prefiro a minha parte em comida. Ou sorvete...


O MUSEU...

Nesse palacete lindíssimo está o Museu do Tribunal de Justiça que foi inaugurado em 1o de fevereiro de 1995. Era em outro lugar antes, com poucos documentos e materiais.
Somente em 2007, foi transferido para o Palacete, que sofreu uma grande restauração antes de tudo. Estava precisando.
São quase 1000 metros de uma decoração única e um acervo que conta toda a história da evolução do Poder Judiciário Paulista.
Sim, aquele ditado existe: a justiça tarda, mas não falha.
Mas, não só o acervo que é de tirar o chapeú. Toda a decoração é de ficar com o queixo caído.Os vitrais são a coisa mais linda. É de deixar qualquer igreja com inveja. A decoração no teto, na parede e até no chão é algo absurdamente lindo.
Sem contar que parece que voltamos aos séculos 18 ou 19 e vamos parar em algum outro lugar que não seja São Paulo de hoje.
Enfim, voltando... a primeira sala é representada por diversas cadeiras e nos dá a entender como é que era um Juri nos primórdios.
Aliás, tem alguns objetos que me deixaram estarrecidas: algo como grilhões que eram usados em escravos. Fiquei tão nervosa que esqueci o nome daquela geringonça.
Ali, também abriga exposições permanentes e temporárias.
Também podemos ver vestuários em ótimo estado de conservação, máquinas de escrever, calculadoras e até os processos de crimes famosos como: o Crime da Mala ( quem lembra?), o Crime do restaurante chinês e outros crimes, como o primeiro crime julgado em 1874. Quer saber se o meliante foi absolvido ou não? Só indo lá para saber.

O bom de lá é que simplesmente eles deixam tocar nas coisas. Isso é maravilhoso. Até sentei para fingir que estava datilografando alguma coisa.
Outra coisa maravilhosa é que os bancos originais que pertenceram a Marquesa de Santos ( aaaah, Marquesa. Minha best friend!) estão ali, prontos para que alguém tire fotos com eles.
Bom, a composição do acervo é bem eclética. Realmente, tem de absolutamente tudo. Mas, todas conversam entre si e combinam com todos os anos de História do Tribunal bandeirante.
Inclusive, lembram do post do Obelisco? Onde estão enterrados os heróis de 1932 e que eu postei no dia do niver de São Paulo?
Pois então, nesse museu aqui, estão os itens utilizados por eles: tipo uma baronete, granadas, balas, cantis, capacetes estourados, marmitas ( sim, marmitas), bússolas,roupas e uma breve história do que foi a Revolução Constitucionalista de 1932, além de livros ( que podem ser mexidos). Inclusive, nessa sala, está o primeiro brasão que São Paulo teve em sua história.

Para mim, os objetos mais curiosos desse acervo, com certeza é uma escarradeira ( preciso dizer para o que serve essa coisa nojenta?), um gramofone ( que eu sempre quis ter um), o banco da Marquesa de Santos e com certeza, todo o arsenal utilizados por nossos heróis.

Em 2002, o local foi tombado pelo CONPRESP ( Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico) e é bem legal, os organizadores de tudo isso, ter o pensamento com a finalidade de transformar em algo cultural para mostrar mais um pouquinho da nossa história para os paulistanos. Mesmo que seja a história da Justiça Brasileira e paulistana. Sim, não deixa de ser muito interessante.
É realmente maravilhoso saber é mais um local histórico e infelizmente, tão pouco conhecido.
E nem está na rota turística tradicional de São Paulo. É algo bem triste.
Então, bora divulgar para que as pessoas conheçam mais e melhor, não é mesmo?


Endereço: Rua Conde de Sarzedas, 100 - Centro.
Telefone: 11 3295 -5815
Horário de Funcionamento: Terças-feiras às Sextas-Feiras: Das 11h00 às 17h00 // Sábados, Domingos e Segundas-Feiras: FECHADO (Sim, somente de semana)
Site: https://www.tjsp.jus.br/Museu
Opções de visita agendada e com monitoria: 11 3295 5819 // 3295 - 5816
ENTRADA GRATUITA
POSSUI ESTACIONAMENTO

Então, é isso, andarilhos. Nada melhor do que conhecer lugares novos e lindos. Vamos divulgar mais a nossa cidade. É tão importante isso. E não falo só de São Paulo não. O Brasil é maravilhoso e precisa ser melhor tratado. Vamos cuidar do nosso quintal.

Beijos jurídicos e até sábado.







sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

#200 MARCO POLO GELATERIA E CAFFÉ

Hello, andarilhos. Tudo bem? Um ótimo sábado para vocês!!!

E CHEGAMOS A 200 POSTAGENS!!! QUERO AGRADECER A TODOS OS ANDARILHOS QUE SE IDENTIFICAM COM ESSE TRABALHO QUE AINDA NÃO TEM MUITO ALCANCE, MAS QUE TRABALHA COM TODA A VERDADE DO MUNDO E QUE ESPERA CHEGAR EM ALGUM LUGAR BOM E NOTÁVEL.
O "SOMOS ANDARILHOS" AINDA NÃO ESTÁ DO JEITO QUE EU QUERO, MAS ESTOU ESTUDANDO PARA MELHORÁ-LO DA MELHOR FORMA POSSÍVEL PARA LEVAR UM CONTEÚDO BOM E GOSTOSO. ADORO DIVIDIR A MINHA CIDADE COM VOCÊS.

Então, para comemorar, vamos adoçar a vida na MARCO POLO GELATERIA E CAFÉ?

Quem é andarilho antigo sabe que uma das metas traçadas lá no começo do blog, era conhecer todas as gelaterias/sorveterias de São Paulo. Falhei consideravelmente. É claro que é impossível.
Outra das metas era focar mais na Zona Leste e mostrar que aqui era tão legal quanto Centro e Zona Sul. O blog se tornou uma mistura só. O foco é na ZL sim, mas eu vivo na Zona Oeste e acho que tem lugares tão inexplorados e pouco falados quanto aqui, na Linha Vermelha. Até já ouvi falar que a Zona Leste é lugar de índio. E já foi mesmo, uai. Quanta ignorância desse povo.

Tudo isso para falar que está um calor dos infernos e acho que nem o capeta está aguentando ficar lá embaixo.
Então, resolvi conhecer essa sorveteria que me chamou a atenção por causa do logo dela. Sim, um simples desenho me fez ter vontade de tomar sorvete e ir até lá, já que não era tão longe de casa.

O lugar é bem pequeno. Em dias como esses, com um sol na cabeça de cada um, simplesmente lota. São 70 lugares apenas e acho que qualquer hora, eles não vão conseguir dar conta.
Enfim, tudo começou com os dois sócios Eloy Fabris e Natália Luglio, que trabalharam como chefs de navios de cruzeiro ( acho tão chique quem trabalha em cruzeiro), se aperfeiçoaram como baristas, conheceram a gastronomia local de diversos países e juntos, descobriram que tinham a mesma paixão: o sorvete. Sim, sorvete é uma arte.
Então, junta o nosso hermano argentino e uma italiana nascida no Brasil, dois aventureiros buscando empreender, no que dá? A Marco Polo.

Aliás, vocês sabem o porquê do nome? Quem foi esse ser humano? Marco Polo foi um andarilho nascido em Veneza, por volta de 1200, que navegou rios e mares como mercador e explorador que foi parar na Ásia, na China e explorar coisas novas e diferentes. Então, trouxe de lá a receita do sorvete até a Itália e bem, o resto já sabemos da história. Sorvete é uma das melhores coisas da vida.

São mais de 60 sabores disponíveis e ficam 20 te esperando na vitrine. O valor é a base de outras gelaterias por aí afora: por volta de R$11,00 a R$22,00, dependendo de quantos sabores escolher.
São vários sabores: flocos, café, baunilha, pistache, chocolate belga, doce de leite, coco, abacaxi, frutas vermelhas, goiaba, limão, manga, maracujá, entre outros...
Quem acompanha a saga aqui, sabe: qual é o sorvete que não pode faltar? Tcharam, tcharam, tcharam...
Ah, eles também fazem serviços delivery: entrega em casa, empresas, fazem eventos, restaurantes, hotéis e buffet.

Ah, e não e só sorvete não que a casa oferece. Você pode optar por sucos, café, sanduíches, croissants e mais um montão de coisas para se esbaldar nas tardes gostosas e calorentas que estão fazendo.

Tente chegar cedo, talvez esteja mais vazio. Apesar do espaço ser super fofo, não consegui encontrar um lugar do lado de dentro e resolvi tomar meu sorvetinho na praça em frente. Essa praça super espaçosa se tornará um post mais para frente.
Como tenho problemas com lugares apertados e multidões, ficar ali ao ar livre, observando o movimento da pracinha foi a melhor escolha que eu fiz.

Endereço: Largo Nossa Senhora do Bom Parto, 57 - Tatuapé
Telefone: 11 3805 -4005
E-mail: contato@marcopologelateria.com.br
Site: http://www.marcopologelateria.com.br
Horário de Funcionamento: Terças-Feiras às Quintas-Feiras: 11h00 às 22h00 // Sextas-feiras e Sábados: 11h00 às 24h00 // Feriados: A partir das 14h00 // Domingos e Segundas-Feiras: FECHADO
ACESSO PARA DEFICIENTES
Aceita cartão de crédito e débito
NÃO POSSUI ESTACIONAMENTO

Então é isso, andarilhos. Mais uma gelateria delícia para a conta. Nesse verão é tudo de bom. Mas, sorvete é bom em qualquer época do ano. Inclusive no inverno. Até prefiro!


Bora compartilhar esse blog com mais pessoas? É só indicar para os amigos. Tão simples quanto beber água.

Beijos docinhos e até semana que vem.








#304 ESPECIAL - UM DIA EM JUNDIAÍ: HISTÓRIA

Hello, andarilhos. Tudo bem com vocês? Carnavalizando? Carnaval está aí e muitas vezes, as pessoas não tem tanta grana para ficar viajand...